Centro de Informação Europa Criativa

ir para conteudo
Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra distinguido com o Prémio Europa Nostra 2021

Bruxelas / Haia, 25 de maio 2021

A Comissão Europeia e a Europa Nostra, representada em Portugal pelo Centro Nacional de Cultura, acabam de anunciar os vencedores da edição de 2021 dos Prémios Europeus do Património Cultural / Prémios Europa Nostra, o prémio da União Europeia para o Património Cultural financiado pelo programa Europa Criativa. Este ano, a maior distinção no domínio do património vai para 24 realizações exemplares de 18 países europeus (ver abaixo a lista de laureados). Entre os vencedores está o Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC), na categoria Serviço Dedicado ao Património. O Júri nesta categoria atribuiu também uma Menção Especial a António Lamas, ex-Presidente do Conselho de Administração da Parques de Sintra - Monte da Lua.

Desde a sua fundação em 1966, o Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC) tem recolhido e documentado as múltiplas manifestações da cultura popular portuguesa. Com base na música tradicional, danças, teatro, costumes e hábitos das comunidades rurais portuguesas, o Grupo leva à cena expressões culturais contemporâneas na forma de espetáculos de teatro e espetáculos musicais ou de dança, com o objetivo de tornar este valioso património verdadeiramente acessível a todos.

 O Júri ficou impressionado com “a dedicação de décadas do Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra à recolha deste património português que é valioso no contexto europeu”, principalmente porque “este tipo de identidade rural se encontra em risco de desaparecer em toda a Europa”.

Foi fundado durante a ditadura, e durante a primeira década de existência do GEFAC, o interesse do Grupo focou as expressões culturais populares e a exploração de temas sociais. Apesar de o GEFAC ter sido oficialmente aceite e apreciado apenas desde os anos 70, desenvolveu ao longo de mais de meio século um extenso arquivo de investigação etnográfica, conservação, adaptação contemporânea e divulgação do património cultural português. As performances originais baseadas na investigação do GEFAC sobre as expressões e costumes tradicionais de todas as regiões de Portugal, juntamente com a vertente de formação do Grupo, merecem um elogio especial.

Uma das mais importantes iniciativas do GEFAC é a realização do seu evento bienal “Jornadas de Cultura Popular”, organizado desde 1979. Os intercâmbios culturais, possibilitados por este e outros eventos em que o GEFAC participa, contribuem largamente para a qualidade das produções e coesão dos seus membros, assim como a integração anual no Grupo de vários estudantes internacionais (de Itália, Eslovénia, Alemanha e Grécia, entre outros).

Os apoiantes e entusiastas do património de todo o mundo são encorajados a descobrir os vencedores e a votar online para decidir quem vai ganhar o Prémio “Escolha do Público” deste ano.  O Prémio “Escolha do Público” será anunciado no Outono. Os vencedores do “Grande Prémio”, a quem será atribuído um prémio pecuniário de 10.000 euros, serão também tornados públicos nesta ocasião.

O Júri raramente se depara com iniciativas tão versáteis e produtivas quando se trata de património cultural: “A combinação de investigação, performances, seminários, formações e parcerias torna o Grupo impressionantemente animado e produtivo. As ligações e colaborações interdisciplinares e internacionais permitem a salvaguarda dos resultados de qualidade destes muitos anos de preservação sobre o património. O trabalho do GEFAC não recupera apenas memórias perdidas, dá também corpo às expressões da cultura popular,  criando momentos de reflexão sobre o nosso próprio tempo e espaço.  O GEFAC foi capaz de encontrar formas de se manter no tempo – o que muitos grupos procuram – , o que resulta numa constante renovação das pessoas”.

A investigação levada a cabo pelo GEFAC ofereceu também um espaço para que algumas comunidades pudessem ver reconhecido o seu património material e imaterial. Exemplo disso são os trajes dos Caretos, característicos da celebração do Entrudo em Podence, Trás-os-Montes e Alto Douro. Com o incentivo do GEFAC, a confeção destes trajes tradicionais e celebração do Entrudo, com menos notoriedade à época, foi recordada localmente. Os Caretos tornaram-se, entretanto, internacionalmente reconhecidos através da sua inserção, em 2019, na Lista Representativa da UNESCO do Património Cultural Imaterial da Humanidade.


Vencedores dos Prémios 2021

Categoria Conservação

 Gare Marítima, Bruxelas, BÉLGICA                      

Jardim do Palácio de Fredensborg, DINAMARCA    

Complexo rupestre de Vardzia, GEORGIA

Haus Am Horn, Weimar, ALEMANHA

Ponte Plaka, Epirus, GRÉCIA       

18 Ormond Quay Upper, Dublin, IRLANDA      

Igreja de madeira de Urși, Vâlcea, ROMÉNIA

Torre das Águas de Besòs, Barcelona, ESPANHA

Mas de Burot, Parque Natural de Els Ports, ESPANHA    

 

Categoria Investigação

FIBRANET - FIBRes in ANcient European Textiles (Fibras em têxteis europeus antigos), DINAMARCA/GRÉCIA

Control Shift - European Industrial Heritage Reuse in Review, GRÉCIA/HOLANDA        

ART-RISK - Inteligência Artificial aplicada à Conservação Preventiva, ESPANHA

 

Categoria Serviço Dedicado ao Património

Fundação Gjirokastra, ALBÂNIA

Comité Técnico sobre Património Cultural, CHIPRE

Rita Bargna, ITÁLIA

GEFAC - Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra, PORTUGAL

 

Categoria Educação, Formação e Sensibilização

 

Seguindo os passos do Folclore Búlgaro, BULGÁRIA    

Centros do Património, FINLÂNDIA/ITÁLIA/SÉRVIA/ESPANHA

A invenção dos culpados, Trento, ITÁLIA
Férias! A Este e Oeste - A Igreja Escola, Groningen, HOLANDA

Centro Europeu de Solidariedade - Exposição Permanente, Gdańsk, POLÓNIA   

Cal artesanal de Morón, Morón de la Frontera, ESPANHA

Arqueologia em casa, REINO UNIDO

Morus Londinium: Património de Londres através das Árvores, REINO UNIDO


Os vencedores dos Prémios foram selecionados por Júris independentes, compostos por peritos em património de toda a Europa, após uma avaliação minuciosa das candidaturas submetidas tanto por organizações como por pessoas a título individual de 30 países europeus.


Menção Especial do Júri para António Lamas

Categoria Serviço Dedicado ao Património

António Ressano Garcia Lamas tem uma longa história de serviço dedicado ao património. Os resultados positivos da extensa carreira de António Lamas são evidentes nas suas nomeações para dirigir algumas das mais importantes instituições públicas responsáveis ​​pelo património em Portugal: como Diretor-Geral do Instituto Português do Património Cultural e como Presidente do Conselho de Administração da empresa pública Parques de Sintra - Monte da Lua, responsável pela gestão da paisagem cultural de Sintra, Património Mundial da UNESCO.

O Júri dos Prémios na categoria Serviço Dedicado ao Património apreciou especialmente o contributo de António Lamas para a inovação e pesquisa no domínio do património. O Júri reconheceu que António Lamas tem inspirado políticas e estratégias de conservação que conciliam o antigo e o novo, e a adoção de medidas de proteção para prevenir a deterioração causada por um grande número de visitantes. O Júri enfatizou também o seu êxito no que diz respeito a estimular a atenção e o interesse do público pela história, pelas questões que envolvem a sustentabilidade ambiental e pelas melhores práticas para a protecção e valorização de jardins e parques históricos.

As Menções Especiais são atribuídas a iniciativas, organizações e individuos que têm contribuído para a valorização do património cultural europeu e que foram particularmente apreciadas pelos Júris mas não foram incluídas na seleção final para receber um Prémio.

 

***

 

Sobre os Prémios Europeus do Património Cultural / Prémios Europa Nostra

Os Prémios  Europeus do Património Cultural / Prémios Europa Nostra foram lançados pela Comissão Europeia em 2002 e têm sido organizados pela Europa Nostra desde então. São apoiados pelo programa Europa Criativa da União Europeia. Os Prémios destacam e divulgam a excelência do património e as melhores práticas, incentivam o intercâmbio transfronteiriço de conhecimentos e ligam as partes interessadas no património através de redes mais amplas. Os Prémios trazem grandes benefícios aos vencedores, tais como uma maior exposição (internacional), financiamento subsequente e um maior número de visitantes. Além disso, os Prémios promovem um maior cuidado com o património entre os cidadãos europeus. Os Prémios são, portanto, uma ferramenta fundamental para promover os múltiplos valores do património cultural e natural para a sociedade, a economia e o ambiente da Europa. Para mais factos e números sobre os Prémios, visite www.europeanheritageawards.eu/facts-figures.

Em 2021, serão também atribuídos dois Prémios Especiais ILUCIDARE de entre as candidaturas apresentadas aos Prémios Europeus do Património / Prémios Europa Nostra. Os projetos selecionados serão anunciados no dia 10 de junho e os vencedores serão revelados no outono. O projeto ILUCIDARE é financiado pelo programa Horizonte 2020 com o objetivo de criar uma rede internacional de promoção do património como recurso para a inovação e as relações internacionais.

Sobre a Europa Nostra

Europa Nostra é a federação pan-europeia de organizações não-governamentais do património, sendo apoiada por uma ampla rede de entidades públicas, empresas privadas e indivíduos. É representada em Portugal pelo Centro Nacional de Cultura. Abrangendo 40 países na Europa, é a voz da sociedade civil empenhada na salvaguarda e promoção do património cultural e natural da Europa.

Fundada em 1963, a Europa Nostra é hoje reconhecida como a mais representativa organização do património na Europa. A Europa Nostra atua para salvar os monumentos, sítios e paisagens mais ameaçados da Europa, em particular através do programa ‘Os 7 mais ameaçados’; celebra a excelência através dos Prémios Europeus do Património Cultural / Prémios Europa Nostra; e contribui para a formulação e implementação de estratégias e políticas europeias relacionadas com o património, através do diálogo estruturado com as instituições da EU e a coordenação da Aliança do Património Europeu. Foi um dos importantes parceiros do Ano Europeu do Património Cultural 2018. Figura também entre os primeiros parceiros oficiais da iniciativa Nova Bauhaus europeia recentemente lançada pela Comissão Europeia.

 

Fonte: Nota de Imprensa Europa Nostra

Foto: Grupo de Etnografia e Folclore da Academia de Coimbra (GEFAC) Fotografia retirada do site EuropaNostra